quinta-feira, 27 de março de 2014

CLÍNICA SÉRGIO MATOS - ENDEREÇO



 Sala 104 do Centro Médico Christian Barnard, situado à Rua Leonor Calmon Bittencourt, n.º 256, Candeal, CEP 40.296-210; 

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

ULTRASSONOGRAFIA EM MEDICINA FETAL



INFORMATIVO


            Este informativo visa orientar sobre o papel da ultrassonografia na MEDICINA FETAL. Essa especialidade tem como finalidade maior ajudar, vocês e o obstetra, na condução da gestação utilizando para isso exames de imagem e aconselhamento baseado nos conhecimentos da fisiologia do desenvolvimento fetal e seus desvios.

            A medicina fetal pode auxiliar inicialmente com a realização de exames ultrassonográficos importantes. Na gestação, a ultrassonografia visa obter informações sobre o desenvolvimento fetal, seu bem-estar, suas relações com o ambiente uterino, com a placenta, identificando sua fisionomia e particularidades, aumentando ainda mais a percepção dos pais sobre seu filho(a) e estreitando com isso os vínculos com a família. Podemos também identificar possíveis alterações morfológicas fetais, modificações do crescimento e desenvolvimento, bem como orientar sobre riscos de doenças genéticas / cromossômicas.

            Recomenda-se que todas as gestantes realizem os seguintes exames ultrassonográficos na gestação:


Primeiro Exame (6-9 semanas):
-       Realizado via vaginal, podemos identificar e localizar o saco gestacional, a vesícula vitelina, o embrião, determinar se a gestação é única ou múltipla, identificar batimentos cardíacos (a partir de 6 semanas e 3 dias). Nesta avaliação também relatamos critérios de viabilidade da gestação, afastamos ou identificamos gestação extrauterina (ectópica tubária, ovariana, abdominal) que é inviável e necessita de tratamento especializado de urgência, avaliamos intercorrências como sangramentos, descolamentos da placenta, dores abdominais, miomas na gestação ou outras associações de patologias ginecológicas.


 Segundo exame (11-14 semanas – Morfológico do primeiro trimestre)
-       Conhecido como exame da TN, o morfológico do primeiro trimestre é bem mais que isso. Trata-se do primeiro exame da morfologia do bebê, ou seja, é a primeira oportunidade de analisar o desenvolvimento das estruturas anatômicas em desenvolvimento. Nesta ocasião, o bebê terá entre 45 e 84 mm de comprimento o que permite o rastreamento das principais síndromes genéticas, incluindo a síndrome de Down, através da medida da translucência nucal. (TN), osso nasal (ON), ducto venoso (DV), válvula tricúspide (VT), ângulo facial (AF).  Podemos associar nosso exame ao rastreamento bioquímico pela dosagem de beta HCG e PAPP-A. Faremos ainda, Doppler colorido para calcular risco de hipertensão gestacional.


Terceiro exame (20-24 semanas – Morfológico do segundo trimestre)
            - Agora você estará com 5 meses; seu bebê pesará cerca de 400-500g e terá de comprimento 22-25 cm.
Temos a oportunidade de avaliar melhor as estruturas do seu bebê, visíveis nessa fase como crânio e cérebro, tórax (pulmão e coração), abdome e seus órgãos e membros. Caso seu obstetra solicite, realizaremos ultrassonografia endovaginal para avaliar o colo uterino e calcular o risco de parto prematuro. É importante informa que a ultrassonografia não atesta a perfeição do bebê mas afasta a maioria das malformações fetais. A normalidade dos exames morfológicos deve ser motivo de alegria e segurança quanto a saúde de seu bebê.


Quarto exame (28-32 semanas – Exame obstétrico)
            - Apesar da simplicidade do nome,  este exame tem grande importância.  Nele avaliaremos o crescimento fetal, o peso, possíveis desvios nessas medidas,  e reavaliaremos a morfologia.

Vitalidade Fetal
É possível que seu obstetra ainda solicite outros exames que avaliam a VITALIDADE FETAL, ou seja o bem-estar, oxigenação e nutrição.  São eles:
-       Doppler colorido
-       Perfil biofísico fetal


     Muito comentado, a ultrassonografia tridimensional (conhecido como 3D / 4D – este último corresponde a imagnes em movimento e em terceira dimensão), permite ao médico e aos pais, apreciar particularidades de superifície fetal, sua fisionomia. Apesar de poder ser realizado em qualquer época, recomendamos que a o melhor período é de 26 – 32 semanas, na dependência também da posição fetal.  Importante resaltar que a ultrassonografia tridimensional não aumenta a sensibilidade do exame na pesquisa de malformações mas permite, além da estética, avaliar a superfície fetal mais detalhadamente.

     Desejamos uma excelente gestação

Atenciosamente,


Dr. Sérgio Matos

CRM 12.404 / TEGO 688.99

e-mail: sergiocmatos@hotmail.com
_______________________________________________________________________________________
O Dr. Sérgio Matos é médico formado pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, ginecologista e obstetra com residência médica pelo IPERBA, possui Título de especialista em Ultrassonografia Geral pelo Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR),  Certificado de atuação em ultrassonografia em Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO),  Certificado em ultrassonografia pela Fetal Medicine Foudation / Londres, Pós-Graduação em Medicina Fetal com certificação para procedimentos invasivos em Medicina Fetal - Biópsia de Vilo Corial / Amniocentese / Cordocentese